segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

(ele pensa em Inês)

Nunca ninguém me tinha dito que me amava. Esse foi o melhor dia da minha vida e tu nunca o soubeste. O destino não nos uniu, mas quando estou a deambular pelos dias mais cinzentos trago à memória esse momento de plena ternura em que diluíste os muros de pedra que tinha a segurar os meus sentimentos e fizeste de mim Amor. Nem sabia que era possível, pensava que eram só coisas que nunca teriam a mesma importância em mim. Aqui ando, ocupado com o trabalho e envolto na cultura música desporto pintura e sinto que estou forte que estou completo na consequência de se viver bem, mas quando preciso de recolher à absoluta felicidade são sempre as tuas palavras que me tiram um suspiro "eu amo-te".

revisto por m. lima (futura deusa literária)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

(Inês)
(Him)

[…]
- Estás tão refugiado em ti mesmo. Isso dá-te um ar de mistério e cativa a querer explorar mais quem és mas também mostras o olhar de quem se foi instruindo a viver sozinho. 
- A dada altura dás por ti algo separada do mundo. São as pequenas coisas, por um lado os dissabores que adensam o casulo interno por outro, o silêncio assim como o afastamento disciplinam a capacidade de observar além do que as palavras dizem, eventualmente constatas que afeição e atenção são usados com descuido fracturando inocências que não mais voltam a ser as mesmas.
- Se bem percebi estás a dizer-me que chegas-te a um ponto onde vives alheado dos outros, mas isso não significa que estás a impedir as amizades de acontecer? Se não dás sequer espaço para alguém entrar então serás sempre o único a conhecer-te a ti mesmo. Não estou a ver como esse modo de vida pode deixar um legado. 

(Ele evitava fixar a sua face mas em silêncio seguia-lhe cada um dos seus movimentos. Não tardaria a aperceber que já tinha deixado entrar demasiado desta evasiva sedução.) 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

(Him)
(Friend)

[...]
- Estás horas, por vezes dias a pensar o que dizer, como dizer. Sempre a tentar prever qual será a reacção de outra pessoa para que não sejas apanhado desprevenido ou para que tenha o efeito que desejas. Chega o momento e apercebes-te que por muito que controles as variáveis não podes decidir qual será a reacção da pessoa. Uma coisa é o que tu dizes outra é o que a pessoa quer ouvir. São dois egos e ambos querem que a mensagem lhes pertença.
- Estás a tentar dizer-me alguma coisa?
- Estou só a pensar.
- Para quê que serve pensar nisso?
- No momento em que tens o primeiro pensamento, separado da rotina que todos parecem levar, dificilmente consegues voltar atrás. E pensas em tudo, para ti, para os outros, todos os futuros possíveis de todas as escolhas que não chegaste a tomar. 
- Nada que uma mulher nos teus braços não resolva.
- Resolve. Resolve sempre, até o efeito da sedução passar e o frio matinal sentar no rebordo da cama enquanto ela dorme e naqueles minutos em que estás sozinho com os teus pensamentos te apercebes que já estás demasiado despertado para voltar a dormir.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

(Inês)
(Him)

[…]
- Why do we have to go through the game in code to say little things when we want to say everything?
- Part of the charm is not knowing. When you recognize what that look hides you can lose the spell forever.
- It seems that people have become accustomed to this way of doing things and nobody dares to do differently, it’s an expected reality with no room for originality. I'm not passing judgment on anyone because for some time now I stopped making judgments about people, life is too complicated for it, and I only wish that living was more than just this… You’re very quiet, what are you thinking about so seriously?
- I'm contemplating your speech knowing that I will never give you an answer.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013


(Inês)
(Ele)

[…]
- Dá-me uma resposta simples ao que te perguntei.
- É o que estou a fazer.
- Isso é complicar quando eu só pretendo um sim ou não.
- Para responder a essa questão tenho de o fazer com uma precisão diferente da que tu queres. Dar-te um sim ou um não terminaria esta discussão mas não me deixaria demonstrar-te que não se pode entender a resposta sem primeiro compreender a pessoa. Tu vês em mim o homem que pensas que sou, só que eu quero que vejas além dos sentimentos que constantemente pretendes ter.
- Estás a dizer que não gosto de ti?
- Estou a dizer que não me conheces; estou a dizer que andamos a fingir durante tanto tempo que já não sabemos fingir ser outra coisa; estou a dizer que é bem mais complicado do que um sim ou não.